11/07/2012

Enquadrada


Te vi pregada na parede...
(igual tu, ninguém mais era)
de ti fizeram pobre quadro...

Era tu, agora, paisagem mera...
mero objeto de enfeite
 tua pele, só pintura era...

Te vi: seus olhos lá, inda molhados...

os olhos crus que o pintor lhe dera.

A. F.

4 comentários:

  1. Bom dia!
    Lindo o poema,e tudo que é belo deve ser posto em moldura para ser admirado eternamente.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir
  2. Pregado na parede
    Para a imagem a olhar
    Da sorte que não teve
    Triste apenas recordar

    Olhos lindos
    que o pintor lhe dera
    Alcançados objectivos
    Com a chegada da primavera!

    Bom fim de semana,
    um abraço
    Eduardo.

    ResponderExcluir