23/05/2013

O tonel encantado

Fui eu que dei o seu primeiro livro, uma edição bem surrada de O tonel encantado, de Beatrice Tanaka. Eu não era tão maior do que ela quando o li, encantado, pela primeira vez. Bia adorou, me pediu que o lesse de novo, e de novo... Tantas vezes li que já era eu parte da história, o próprio toneleiro a buscar sempre mais e mais. Quando fui visitá-la no hospital, tempos depois, ela estava bem forte. Conversamos muito, logo o tempo de visita acabou. Já ia embora quando ela me chamou; o livrinho nas mãos - amarelado, já sem capa...
– Leve; mas é nosso. Dias depois se foi, ser anjo no céu.

Hoje, passado anos, retorno novamente à nossa história. O final, como sempre, é como um soco seguido de um beijo: "Bang! O tonel estoura em mil pedacinhos."

André Foltran
~ Um dos vencedores do 1º Concurso
de Contos Brincar de Ler (maio/2013).

 * Ilustração de Beatrice Tanaka

4 comentários:

  1. Mas que história incrível. Sempre fica uma nostalgia quando a pessoa que amamos parte para a luz.
    Beijos
    Gracita

    ResponderExcluir
  2. boas lembranças nos fazem bem..
    um ótimo final de semana..

    ResponderExcluir
  3. Fiquei encantada com O Tonel Encantado!

    ResponderExcluir
  4. Absolutamente perfeito André, sem mais!

    Um beijo.

    ResponderExcluir