26/11/2013

Amour

Os hipogrifos estão morrendo!... Salvem
os hipogrifos!... Não há valas que caibam
seus enormes corações selvagens. Amour.
O amor dito baixinho, feito depressa atrás
do palco. O amor violento, amor gratuito.
O amor contrabandeado da França. Stop!
Parem esse amor... Matem os hipogrifos!...
(Este poema não tem pretensões políticas.)

A. F.

3 comentários:

  1. Oi André
    Tudo é válido quando se fala de amor, um sentimento pleno.
    Um carinhoso abraço

    ResponderExcluir
  2. Não matem o hipogrifo, o amor é lindo, mesmo que doa, que arda, que faça nos chorar.

    Acabei de publicar seu poema no meu blog, obrigada por participar da promoção (:
    Lembrando que o texto mais comentado vai ganhar divulgação em meu blog + redes sociais. Peça para comentarem (:

    Beijos e ótima semana.

    http://mylife-rapha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Você diz que não tem pretensões políticas. E você acredita nisso, André?
    Abraços,

    ResponderExcluir