17/12/2013

Soneto para Ana Luísa

“Ana e o mar... mar e Ana” (TM)
***
À Ana Luísa (Green) Ribeiro

Ana Luísa, és Green no sobrenome!
Nas noites frias tens o que te aqueça...
A esperança é a cor do teu nome
e onde há esperança há tocha acesa!

Outro ano passa e ainda a mesma dor:
médicos já não curam o amanhã...
Ah, como odeio o fim do ano por
roubar-te, Ana, das minhas manhãs...

Aninha, Ana Luísa, Ana Banana...
São tantas Anas dentro de uma só!
A Ana meiga que todo mundo ama.

A Ana que machuca sem ter dó.
A Ana esperta; a burra. A Ana humana!
Vão todas para o mar e eu só pó...


11 de dezembro de 2013

A. F.

5 comentários:

  1. Oi André
    Que o verdadeiro sentido do natal esteja sempre presente em teu dia a dia e que a esperança esteja sempre presente te auxiliando na concretização dos teus sonhos. Que no próximo ano os teus sonhos sirvam de inspiração para realizar e sentir que a vida é um presente iluminado que Deus nos deu. Que este seja o natal do renascimento do amor fraterno. Que possamos caminhar unidos em 2014 e que os laços de amizade que nos uniu se fortaleçam a cada novo dia. Obrigada pelo carinho e amizade que você tão generosamente me concedeu em 2013.
    Um feliz e abençoado natal e um ano novo de vitórias e conquistas.
    Beijos com meu carinho e minha sincera amizade
    Gracita


    ResponderExcluir
  2. Ah André, maravilhoso! Mas sabe como é, as Anas são assim; deixam-te a "secar", no pó....:-)
    Gostei muito do soneto a essa Ana (Green) Ribeiro.
    xx

    ResponderExcluir
  3. Penso ser essas de facetas múltiplas em uma só que tendem a ser mais encantadoras... estou errada? hahaha
    Adorei o escrito e desejo um Natal ótimo, com inspiração e boa companhia por perto.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Está espectacular tambem o poema da Ana,lindo tautograma!! Gostei muito de ler,desejo-te boas festas,beijinhos fofinhos e até breve!!

    ResponderExcluir