21/04/2013

Rua das Hortências


O olho esquerdo da rua
me encara. Tudo é sombra
nos andrajos que me cobrem.

Nenhum poste me ilumina...

Que sabe de mim a rua
além do meu passo largo
e da minha sombra inútil?

Saberá o meu mistério?

                                                        A. F.