21/06/2013

Solstício de inverno

Quiseram certa vez construir um Brasil...
mas o ergueram muito acima de nós.
Tanto que hoje já não podemos alcançá-lo.

Uma torre está sendo erguida nas ruas.
Não nos entendemos, hablamos tantas lenguas...
Mas queremos todos chegar ao Brasil
(ou a algum lugar próximo
do paraíso).

O sangue escorrendo nas vias,
por trás das igrejas,
no canto dos olhos
é todo um mesmo sangue,
um sangue sujo, um sangue verde,
verde e amarelo,
brasileiro.

É tempo de união, meus irmãos.
É tempo de guerra
e os adoráveis suicidas
pularão todos juntos.

Trazemos nas mãos cartazes em branco
e coquetel molotov
nas mochilas.
Somos a rebelião
acontecendo ao vivo
para 123 países.
Hora de brincar!

Queimemos os carros, irmãos.
Os carros e os velhos
(sobretudo os velhos).
De poetas do facebook
a democratas!

Vamos enterrar nossos avós paraplégicos
que nos ensinaram covardemente a trancar as portas
e sussurrar no escuro
a oração antiga.

Vamos derrubar o Brasil, meus irmãos!
(Pacificamente, como se mata
um boi.)

O Brasil é muito pouco para nós.

A. F.