26/11/2013

Amour

Os hipogrifos estão morrendo!... Salvem
os hipogrifos!... Não há valas que caibam
seus enormes corações selvagens. Amour.
O amor dito baixinho, feito depressa atrás
do palco. O amor violento, amor gratuito.
O amor contrabandeado da França. Stop!
Parem esse amor... Matem os hipogrifos!...
(Este poema não tem pretensões políticas.)

A. F.