06/06/2013

Canção Marítima



Nós, os navegantes
da contra maré,
aos olhos da massa
andamos em ré.

Em ré seguem eles
as linhas traçadas.
Não cabem nos mapas
ilhas inventadas...

Na praia de ossos
encontram a paz.
São livros fechados
na beira do cais...

Tão jovens infantes
seguimos de pé,
nós, os navegantes
da contra maré.

Nós, os fabricantes
da contra razão,
negamos cantar
a mesma canção.

Nós, os navegantes
da contra maré,
trazemos no passo
um novo balé.

Nós, os navegantes
 ou vou eu sozinho?
buscando, já louco,
alguém no caminho...

A. F.

(35 x 25 cm) de  Daniloz

5 comentários:

  1. Poesia em estado puríssimo!

    Salve Andre Foltran!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Prazer em conhecê-lo, poeta!!!!!
    " Nós, os navegantes
    - ou vou eu sozinho?
    buscando, já louco,
    alguém no caminho..."
    Já aqui desvelei um pouco dessa alma navegante louca pela pureza na poesia!
    beijos

    ResponderExcluir