26/07/2014

A menina que sonhava com fogo


Ela gostava de ficar horas no banheiro se olhando no espelho,
fuçando os 64 sexos que tinha, nunca usados.
Às vezes lhe dava uma vontade tremenda do que não sabia,
uma coceira que ia da alma aos biquinhos saltados dos peitos.

E de repente queria beijar a vó septuagenária de língua ou
chupar o pau do professor de química
ou estuprar o gato angorá da vizinha (ou a própria vizinha)
com uma caneta bic ponta grossa.

Mas não se escandalizem, senhoras & senhores: a menina
era do signo da borboleta.
As desse signo (donas de casa, em sua maioria) são para
sempre i-no-fen-si-vas...

A. F.

* Desenho:
Auguste Rodin, 1900

4 comentários:

  1. André,

    A repressão sexual sobre as mulheres é prejudicial aos homens, há que haver diálogo e racionalidade. A final, é algo simples e bom.

    abraço
    Marcos

    ResponderExcluir
  2. Ter apenas um sexo e não usar já é um drama, agora imagina 64. Será um mais uns quantos que se inventam, e quanto à coceira aposto que não dá para aguentar...:-)
    Adorei o poema, André, e como diz o Marcos, a repressão sexual sobre as mulheres não é bom para ninguém.
    xx

    ResponderExcluir
  3. ótimo! vc sabia que a borboleta corresponde ao órgão sexual feminino externo?

    ResponderExcluir