25/01/2016

Retrato da galinha enquanto morre


Uma galinha, que engraçada,
se derramando, e tão discreta
: sua natureza degolada
mantém algo de secreta
em sua morte desvelada.
Essa galinha é poeta.

Mas a galinha na calçada,
em sua forma de morrer,
parece não saber de nada
do que é ser ou é não ser.
Pobre galinha degolada,
sabe morrer sem nem saber.

Pobre galinha, degolada
bem antes mesmo de nascer.
Nesse cenário (a calçada),
toda encolhida (que engraçada),
achou sua forma de morrer.
Essa galinha é tudo ou nada.

E morre, e morre pra valer,
essa galinha, que engraçada.
O sangue jorra sem saber
o que é carne o que é calçada
nessa paisagem degolada,
nesse cenário que é morrer.

A. F.

3 comentários:

  1. Visão lírica e bem humorada do destino animal.

    =)

    ResponderExcluir
  2. Engraçado, mas fiquei com dó também, lembrando das galinhas assassinadas que já vi.
    Faz um sobre as vaquinhas também.

    ResponderExcluir

  3. Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, e verifiquei que eu estava a seguir sem foto, por motivo de uma acção do google, tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
    António Jesus Batalha.

    ResponderExcluir